Suinocultura

Operações de crédito para produtores independentes é tema de reunião da ABCS com Ministério da Economia

14 de junho de 2022
Compartilhe

ABCS se reúne para tirar dúvidas sobre as operações de crédito liberadas recentemente pelo Conselho Monetário Nacional.

Folador esteve reunido com o subsecretário de Política Agrícola.

 

Na última segunda-feira (13), a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), representada pelo Conselheiro de Mercado, Valdecir Luis Folador, também presidente da Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (ACSURS), e pela consultora de relações governamentais, Ana Paula Cenci, estiveram reunidos com o subsecretário de Política Agrícola e Negócios Agroambientais do Ministério da Economia, Francisco Albuquerque, e a sua equipe técnica. O assunto principal da agenda foi a contratação de crédito rural de custeio destinado à atividade de suinocultura não explorada sob regime de integração (resolução do Conselho Monetário Nacional –CMN n° 5.017 de 10 de maio de 2022). Na oportunidade outros assuntos ligados ao crédito agrícola também foram tratados.

A audiência contou com a participação do senador Luiz Carlos Heinze (PP -RS), que solicitou a agenda, e também com a presença de outras entidades.

O subsecretário Francisco Albuquerque reforçou que foi viabilizado pela Resolução CMN n° 5.017, deste ano, até 20% do que seria destinado ao custeio como uma alternativa a uma linha de retenção de matrizes, sem a necessidade de comprovações adicionais, e com prazo estendido para dois anos. No caso do médio produtor seriam até 300 mil reais, já o grande teria direito de até 600 mil reais. Segundo o subsecretário, esse dinheiro servirá como um capital de giro e pode ser tomado até 30 de dezembro de 2022.

O Conselheiro de Mercado da ABCS fez uma observação ao subsecretário, reforçando que esteve recentemente no Banco do Rio Grande do Sul e a equipe da instituição disse que não tinha nenhum recurso disponível no sistema para retenção de matrizes e que a linha não estava disponível. Albuquerque orientou a não utilizarem o termo retenção de matrizes quando forem a seus bancos. “O crédito não saiu com esse nome. Vocês devem pedir o direito a 20% do limite de custeio de cada um”. O subsecretário explicou ainda que, se possível, o produtor leve a Resolução CMN n° 5.017 de 10/5/2022 em mãos para o seu gerente. “Assim o profissional vai avaliar a situação de cada suinocultor para conceder esse crédito, dentro do limite disponível, conforme a norma”.

Ainda na agenda o subsecretário Albuquerque explicou que resolução do CMN é destinada ao crédito agrícola do Plano Safra que é contabilizado por ano/safra, ou seja, o suinocultor pode buscar retirar o crédito até o dia 30/06 deste ano – valor que será descontado de seu limite no Plano Safra 2021/2022. Porém, a partir de julho, com o novo Plano Safra 2022/2023 o produtor terá novamente o limite restabelecido e poderá fazer as contratações até 31/12/2022, com os dois anos de prazo e com os juros e valores atualizados.

Para finalizar a agenda o subsecretário comentou sobre as perspectivas do Plano Safra 2022/2023, no qual os recursos poderão ser escassos e imprevisíveis dado a conjuntura econômica de juros mais altos.

Fonte: ABCS

Cotação semanal

Dados referentes a semana 01/07/2022

Suíno Independente kg vivo

R$ 6,46

Farelo de soja à vista tonelada

R$ 2.666,66

Casquinha de soja à vista tonelada

R$ 1.275,00

Milho Saca

R$ 88,67
Ver anteriores

Preço base - Integração

Atualizado em: 05/07/2022 14:00

AURORA* base suíno gordo

R$ 5,10

AURORA* base suíno leitão

R$ 5,20

Cooperativa Languiru

R$ 5,20

Cooperativa Majestade*

R$ 5,10

Dália Alimentos

R$ 5,20

Alibem - base creche e term.

R$ 4,10

Alibem - base suíno leitão

R$ 5,20

BRF

R$ 5,10

Estrela Alimentos - creche e term.

R$ 4,10

Estrela Alimentos - base leitão

R$ 5,15

JBS

R$ 5,10

Pamplona* base term.

R$ 5,10

Pamplona* base suíno leitão

R$ 5,20
* mais bonificação de carcaça Ver anteriores

Parceiros da Suinocultura Gaúcha

Parceria