PSA

A Peste Suína Africana (PSA) é uma doença viral fatal dos suínos, que acomete tanto os domésticos como suídeos asselvajados. É uma doença altamente contagiosa que não tem vacina e nem tratamento, e pode gerar graves problemas no rebanho e grandes perdas econômicas.

A prevenção para a introdução da PSA em países livres da doença depende da adoção de medidas de biosseguridade para evitar a introdução do vírus, ou de produtos infectados nas zonas livres.

Dentre as medidas de biosseguridade em granjas, temos:

  • Evitar visitas nas unidades de produção, pois todo o visitante pode ser um risco a introdução de patógenos, e, caso haja visitas, realizar o vazio sanitário e todas as demais medidas de biosseguridade recomendadas pela unidade de produção
  • Isolamento e quarentena dos suínos importados.
  • Evitar a entrada de pessoas recém-chegadas ao país (pelo menos 72 horas).
  • Descarte apropriado de restos de alimentos oriundos de áreas infectadas (incineração ou esterilização).
  • Nos criatórios não tecnificados, em hipótese alguma deve-se usar resíduos proveniente de aterros sanitários. Restos de comida de restaurantes, ou mesmo domésticos, também devem ser evitados, especialmente se não forem submetidos a cozimento.
  • Barreiras físicas impedindo a entrada de outros animais (cães, gatos, animais silvestres e asselvajados e outros) no perímetro da granja, bem como insetos e roedores nos galpões.
  • Controle de moscas e carrapatos.
  • Desinfetar e controlar a entrada de equipamentos, implementos, materiais e suprimentos, na entrada da granja.
  • Realizar capacitações orientando os funcionários e a implementação de medidas de biosseguridade na granja.

 

São medidas que devem ser reforçadas para viajantes:

  • Reforço na inspeção de bagagens de passageiros com intuito de verificar a vinda de alimentos e outros materiais, não autorizados que podem ser potenciais veiculadores desta doença, atividade onde se insere o emprego dos cães detectores do MAPA.
  • Proibição da entrada de carne (in natura ou industrializada) no país por meio das bagagens;
  • Fiscalização do descarte adequado de resíduos alimentares provenientes de bordo de aeronaves comerciais e navios, quando procedentes de países infectados por essa doença.
  • Descarte de forma correta, roupas e calçados usados durante as visitas internacionais, pois mesmo a lavagem não garante que os acessórios fiquem livres dos patógenos.

 

Confira alguns materiais sobre o tema: 

Vídeos:

 

 

Canais de notificação 

Os canais de notificação são: as inspetorias ou escritórios de defesa agropecuária locais, o WhatsApp (51) 98445-2033, o telefone geral (51) 3288-6200 e o e-mail notifica@agricultura.rs.gov.br.

As notificações também podem ser feitas através da Plataforma Integrada de Ouvidoria e Acesso à Informação Fala.BR.

A ACSURS – Associação de Criadores de Suínos do RS ressalta a importância do cuidado por parte de todos. A entidade mantém-se à disposição para quaisquer dúvidas.

Cotação semanal

Dados referentes a semana 17/09/2021

Suíno Independente kg vivo

R$ 6,79

Farelo de soja à vista tonelada

R$ 2.245,00

Casquinha de soja à vista tonelada

R$ 1.800,00

Milho Saca

R$ 90,00
Ver anteriores

Preço base - Integração

Atualizado em: 17/09/2021 16:00

AURORA* base suíno gordo

R$ 5,90

AURORA* base suíno leitão

R$ 6,00

Cooperativa Languiru

R$ 5,90

Cooperativa Majestade*

R$ 5,90

Dália Alimentos

R$ 5,90

Alibem - base creche e term.

R$ 4,90

Alibem - base suíno leitão

R$ 5,70

BRF

R$ 5,60

Estrela Alimentos - creche e term.

R$ 4,80

Estrela Alimentos - base leitão

R$ 5,95

JBS

R$ 5,60

Pamplona* base term.

R$ 5,90

Pamplona* base suíno leitão

R$ 6,00
* mais bonificação de carcaça Ver anteriores

Parceiros da Suinocultura Gaúcha

Parceria