Suinocultura

ACSURS divulga levantamento de suínos produzidos para abate em 2023

8 de fevereiro de 2024
Compartilhe

Entre os principais produtores de suínos do Brasil, o Rio Grande do Sul que há anos vem se destacando no setor, produziu 11.281,033 suínos para abate em 2023, conforme dados emitidos pela Seção de Epidemiologia e Estatística (SEE) da Secretaria da Agricultura, através do Guia da Trânsito Animal (GTA).

O levantamento realizado pela Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (ACSURS), que contém dados de 318 municípios, apontou pela primeira vez, Rondinha como o principal produtor de suínos para abate do estado gaúcho.

Localizado entre vales, ao norte do Estado, o município que integra a região do Rio da Várzea, produziu 263.109 suínos, registrando um crescimento de 20% em sua produção, se comparado a 2022.

Com esse aumento, Rondinha subiu três colocações, e ocupou o lugar de Rodeio Bonito, que liderava há 7 anos o levantamento realizado pela ACSURS, e agora, ocupa o segundo lugar com a produção de 258.741 suínos para abate.

Os dez maiores produtores

Ocupam as 10 primeiras colocações, os seguintes municípios: Rondinha ( 1º Lugar – 263.109), Rodeio Bonito (2º Lugar – 258.74), Palmitinho (3º Lugar – 247.886), Aratiba (4º Lugar – 234.994), Santo Cristo (5º Lugar – 205.235), Nova Candelária (6º Lugar – 205.143), Camargo (7º Lugar – 204.855), Três Passos (8º Lugar – 197.909), Pinheirinho Do Vale (9º Lugar – 193.049) e Boa Vista Do Buricá (10º Lugar – 190.617).

A maior região produtora

A mudança não aconteceu somente no ranking geral dos municípios que produziram suínos para abate. Após o encerramento das atividades e a paralisação de abates por conta dos prejuízos causados pelas cheias em agroindústrias do Vale do Taquari, a região que registrou o abate de 1.808.712 de suínos e que durante anos ocupava a primeira posição, passou o seu lugar para o Médio Alto Uruguai, que em 2023 abateu 1.810.781 suínos. As regiões representam 16,03% e 16,05%, respectivamente, do total da produção do Rio Grande do Sul.

Em crescimento
Em 2023, registou-se o crescimento de 1,16% na produção de suínos para abete no Rio Grande do Sul, em comparação com 2022, quando foram produzidos 11.150.849 suínos para abate.

Outros Estados
Ao longo de 2023, o Rio Grande do Sul enviou 1.370,363 suínos para abate em estados como Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro.

Além disso, recebeu para abater em frigoríficos gaúchos, o total de 34.526 suínos, originários de Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e Paraná.

Acesse o material completo! CLIQUE AQUI!

Fonte: Bruna Gomes Stahl | Assessora de Imprensa - ACSURS

Cotação semanal

Dados referentes a semana 16/02/2024

Suíno Independente kg vivo

R$ 6,40

Farelo de soja à vista tonelada

R$ 1.995,00

Casquinha de soja à vista tonelada

R$ 1.000,00

Milho Saca

R$ 54,67
Ver anteriores

Preço base - Integração

Atualizado em: 16/02/2024 14:00

AURORA* - base suíno gordo

R$ 5,30

AURORA* - base suíno leitão

R$ 5,40

Cooperativa Majestade*

R$ 5,30

Dália Alimentos* - base suíno gordo

R$ 5,10

Dália Alimentos* - base leitão

R$ 5,20

Alibem - base creche e term.

R$ 4,30

Alibem - base suíno leitão

R$ 5,15

BRF

R$ 5,35

Estrela Alimentos - creche e term.

R$ 4,32

Estrela Alimentos - base leitão

R$ 5,35

JBS

R$ 5,30

Pamplona* base term.

R$ 5,30

Pamplona* base suíno leitão

R$ 5,40
* mais bonificação de carcaça Ver anteriores

Parceiros da Suinocultura Gaúcha

Parceria