Suinocultura

Agricultura prorroga prazo de IN sobre biosseguridade nas granjas de suínos

24 de maio de 2024
Compartilhe

O prazo para que as granjas de suínos se adequem às normas estabelecidas na
Instrução Normativa (IN) nº 10/2023 foi prorrogado em virtude do estado de calamidade
causado pelos alagamentos no Rio Grande do Sul. A Instrução estabelece as diretrizes
mínimas de biosseguridade nas granjas de suínos para fins comerciais. O prazo, que
terminava nesta quarta-feira (22/5), foi prorrogado até 31 de março de 2025 por meio da
publicação da IN nº 13/2024, da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Produção
Sustentável e Irrigação (Seapi), no Diário Oficial do Estado.
De acordo com Fernando Groff, chefe da Divisão de Defesa Sanitária Animal da Seapi,
“na esteira dos acontecimentos que resultaram na situação de calamidade no Rio
Grande do Sul com efeitos desastrosos sobre a estrutura logística do Estado e sobre as
cadeias produtivas, se impõe a necessidade de uma adequação de prazos, sem prejuízo
aos criadores que já providenciaram antecipadamente”.
Até 31 de março de 2025, a IN define que as granjas façam as seguintes ações:
● Elaborem plano de ação com cronograma para adequação da granja;
● Possuam vestuário e calçados de uso exclusivo da granja ou descartáveis;
● Possuam sistema de desinfecção de equipamentos e objetos que irão ingressar na
granja comercial;
● Utilizem apenas veículos limpos e desinfetados;
● Impeçam acesso de outros animais na área interna da granja comercial;
● Possuam reservatórios de água fechados, protegidos e limpos;
● Realizem cloração ou processo equivalente, mantendo a potabilidade da água
prevista em legislação;
● Possuam programa de prevenção e controle de pragas em todas as
instalações;
● Cumpram período de vazio sanitário para visitas e realizar registro de visitantes;
● Possuam os registros auditáveis e demais documentos.
As próximas etapas de adequação são os ajustes na cerca de isolamento da área
interna, nas barreiras sanitárias, ajustes ou correção da composteira (ou outro
processamento de animais mortos, restos placentários, resíduos de animais e sobras de
ração) e no sistema de tratamento de dejetos. E a última etapa é a construção de cercas
de isolamento da área interna, barreiras sanitárias, embarcadouro/desembarcadouro
junto à cerca de isolamento e colocação de tela nas aberturas de ventilação dos
galpões de criação, caso a granja comercial ainda não possua estas adequações

Fonte: Seapi

Cotação semanal

Dados referentes a semana 21/06/2024

Suíno Independente kg vivo

R$ 6,80

Farelo de soja à vista tonelada

R$ 2.221,67

Casquinha de soja à vista tonelada

R$ 1.300,00

Milho Saca

R$ 63,50
Ver anteriores

Preço base - Integração

Atualizado em: 21/06/2024 14:00

AURORA* - base suíno gordo

R$ 5,40

AURORA* - base suíno leitão

R$ 5,50

Cooperativa Majestade*

R$ 5,40

Dália Alimentos* - base suíno gordo

R$ 5,40

Dália Alimentos* - base leitão

R$ 5,50

Alibem - base creche e term.

R$ 4,55

Alibem - base suíno leitão

R$ 5,40

BRF

R$ 5,35

Estrela Alimentos - creche e term.

R$ 4,40

Estrela Alimentos - base leitão

R$ 5,45

JBS

R$ 5,30

Pamplona* base term.

R$ 5,40

Pamplona* base suíno leitão

R$ 5,50
* mais bonificação de carcaça Ver anteriores

Parceiros da Suinocultura Gaúcha

Parceria