Agronegócio

Temperatura, radiação e umidade garantem bom desenvolvimento das pastagens

14 de junho de 2021
Compartilhe

As temperaturas mais amenas, associadas à boa incidência de radiação solar e à adequada umidade do solo proporcionada por chuvas regulares, promoveram o desenvolvimento das pastagens estivais e do campo nativo, as quais, ainda que com menor qualidade, ainda ofertam quantidade considerável de volumosos aos animais. De acordo com o Informativo Conjuntural, produzido e publicado nesta quinta-feira (10) pela Gerência de Planejamento da Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), nos locais onde geou, o desenvolvimento do campo nativo foi praticamente nulo e houve redução da disponibilidade de forragens das áreas de resteva.

As pastagens anuais de inverno apresentam boa produtividade, e a unidade do solo acelerou o crescimento especialmente da aveia, que já está ofertando boa quantidade de volumoso de qualidade. Nos períodos sem chuva, os produtores aplicam adubos nitrogenados nas áreas de pastagem. Os produtores seguem suplementando as categorias mais exigentes, como matrizes leiteiras, com forragens conservadas, principalmente silagem de milho e pré-secados como fonte de volumoso.

Na regional de Ijuí, seguem as semeaduras escalonadas com aumento de cultivares com ciclo mais longo. A semeadura do trigo para silagem está sendo finalizada. Na regional de Bagé, aumentou o número de criadores conduzindo as pastagens de aveia para pastoreio, mesmo antes do pleno desenvolvimento das plantas. Em Hulha Negra, as pastagens de trevos e de cornichão estão com bom rebrote, mas de maneira geral ainda apresentam pequena oferta forrageira.

CULTURAS DE INVERNO

Segue o plantio de trigo, canola e aveia branca no Estado, sendo que o da cevada já está concluído. Com a boa umidade no solo da região mais adiantada no plantio de trigo, em Santa Rosa os agricultores realizaram o plantio de trigo durante a semana, atingindo 33% da área e dando preferência para variedades de ciclo longo, deixando as variedades de ciclo curto para plantio em final de junho. As lavouras já semeadas estão com boa germinação, formando bom estande de plantas, com boa aparência no desenvolvimento inicial.

CULTURAS DE VERÃO

Soja – Prosseguem os trabalhos de aplicação de corretivos nas lavouras, com grande predomínio do calcário dolomítico. Simultaneamente, os produtores estão em pleno processo de planejamento da próxima safra com a aquisição de fertilizantes e sementes. Produtores semeiam plantas de cobertura do solo e forrageiras de inverno. Com a sequência de dias com clima mais frio e as geadas generalizadas, ocorreu controle natural das plantas voluntárias de soja que emergiram após a colheita. Com esse controle elimina-se a chamada ponte verde, impedindo a sobrevivência e multiplicação de pragas e algumas doenças que ameaçariam as lavouras de soja do próximo cultivo. Além disso, a geada reduz a necessidade de pulverização para controle químico dessas plantas voluntárias.

Milho grão – A colheita prosseguiu na semana. Do total no Estado, 95% está colhido. Restam áreas menores e algumas onde a colheita é manual e mais lenta.

Arroz – Com a colheita encerrada, produtores planejam a próxima safra cujo início de semeadura está previsto para setembro. A disponibilidade de água das barragens ainda gera bastante preocupação, mesmo com as chuvas satisfatórias a partir de meados de maio. As condições favoráveis desta safra, as melhores em vários anos, vêm permitindo flexibilidade aos produtores que podem protelar a comercialização da produção na expectativa de uma elevação de preços do arroz, que em geral ocorre na entressafra, no segundo semestre.

OLERÍCOLAS

Na regional da Emater/RS-Ascar de Bagé, ocorreram novas geadas entre 31/05 e 01/06, com temperaturas próximas a zero nas madrugadas, fato que torna rotineiros os cuidados de proteção dos cultivos para evitar perdas de produção. Em Manoel Viana, município da Fronteira Oeste, olericultores trabalharam na organização das hortas e dos cultivos de inverno, pois as temperaturas mais baixas das últimas semanas favoreceram o desenvolvimento de algumas culturas. Iniciou a entrega de vegetais nas escolas da rede pública estadual destinadas a cestas de alimentos para as famílias dos alunos. Também são comercializados hortigranjeiros para consumo e doação do Cras através do PAA municipal. Foram retomadas as atividades na feira do produtor.

FRUTÍCOLAS

Nas regionais de Ijuí e Santa Rosa, procura por mudas de frutíferas em elevação, em especial para pomares domésticos a serem implantados em junho.

APICULTURA

As temperaturas mais baixas, o menor período de insolação e a ocorrências de dias chuvosos reduzem as saídas dos enxames a campo, exigindo maior disponibilidade de mel nas colmeias. Praticamente inexistem floradas no momento. Assim, é maior a atenção necessária por parte dos apicultores para o monitoramento dos níveis de reservas nas colmeias e para a introdução de alimentos artificiais, caso necessário.

Fonte: Emater-RS / Ascar

Cotação semanal

Dados referentes a semana 30/07/2021

Suíno Independente kg vivo

R$ 6,79

Farelo de soja à vista tonelada

R$ 2.333,30

Casquinha de soja à vista tonelada

R$ 1.575,00

Milho Saca

R$ 97,33
Ver anteriores

Preço base - Integração

Atualizado em: 04/08/2021 14:00

AURORA* base suíno gordo

R$ 5,90

AURORA* base suíno leitão

R$ 6,00

Cooperativa Languiru

R$ 5,70

Cooperativa Majestade*

R$ 5,70

Dália alimentos

R$ 5,60

Alibem - base creche e terminação

R$ 4,90

Alibem - base suíno leitão

R$ 5,70

BRF

R$ 5,70

Estrela Alimentos - creche e terminação

R$ 4,80

Estrela Alimentos - leitão

R$ 5,85

JBS

R$ 5,60

Pamplona* base terminação

R$ 5,90

Pamplona* base suíno leitão

R$ 6,00
* mais bonificação de carcaça Ver anteriores

Parceiros da Suinocultura Gaúcha

Parceria